sexta-feira, 11 de outubro de 2013

A minha mãe enlouqueceu.
O meu pai desesperou.
A ausência da minha irmã.
O excesso de álcool que administro como fosse medicamento.
O emprego, que nem este me salva.
A quantidade absurda de disparates que faço por fazer, sem me lembrar que os faço ou o que os vou fazer.
A casa que já não sinto casa.
A roupa espalhada já se misturou com livros, pacotes de coisas, guardanapos e comprimidos.
Tudo um caos, um caos, um caos.

1 Comment:

Frederico Fiúza
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário